fbpx

Em 2020, havia mais de 5,5 milhões de automóveis ligeiros a circular em Portugal. Quase um e cada quatro tinha mais de 20 anos. Luxemburgo era o país da UE com o parque automóvel mais recente.

No primeiro ano de pandemia, Portugal era o sexto país da União Europeia (UE) com o parque automóvel mais envelhecido, de acordo com os dados divulgados esta sexta-feira pelo Eurostat. Em contrapartida, o Luxemburgo era o Estado-membro com os carros mais recentes.

No final de 2020, havia em Portugal mais de 5,5 milhões de automóveis ligeiros a circular, dos quais apenas 369.769 eram considerados “novos”, isto é com menos de dois anos, 722.158 tinham entre dois a cinco anos, 890.773 tinham entre cinco a dez anos, 2.374.961 tinham entre 10 a 20 anos e 1.208.302 tinham mais de 20 anos.

Contas feitas, 21,7% dos automóveis a circular em Portugal nesse ano tinham mais de 20 anos, o que coloca Portugal como o sexto país com o parque automóvel mais envelhecido da UE. Estes dados estão em linha com os apresentados pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP), que indicavam, que, no final de 2021, um em cada quatro carros a circularem em Portugal tinha mais de 20 anos.

Se além destes considerarmos ainda os automóveis com idade entre 10 a 20 anos, é possível constatar que mais de metade dos veículos (64,4%) a circular em Portugal tinham mais de 10 anos.

Entre os Estados-membros, a Polónia é o país europeu com o maior número de automóveis mais antigos, com mais de 10 milhões de carros com mais de 20 anos, seguido por Espanha, Alemanha, França e Roménia. Já se considerarmos em termos percentuais, a Polónia continua a ocupar o pódio, seguindo-se a Estónia (33%) e a Finlândia (28%).

Em contrapartida, o Luxemburgo é o Estado-membro cuja percentagem do parque automóvel é mais recente, com 22% dos automóveis ligeiros registados com menos de dois anos. Segue-se França, Áustria, Irlanda, Bélgica e Suécia (todos entre 16% e 17%).

Fonte: Eco

Retirado de Anecra

CategoryNotícias

© 2015 GRUPO AUTOINDIA |Powered by slab studio

SIGA-NOS